Leviathan

Acreditei que a pandemia e todos os atrasos que ocorreram na indústria nos últimos meses iriam impedir a Paradox de transformar o primeiro semestre do ano no “Semestre Paradox”. Pelo visto estava errado, pois depois de anunciarem um DLC para Stellaris, e a versão 2.0 de Imperator Rome, a desenvolvedora sueca finalmente anunciou a próxima expansão para Europa Universalis IV – Leviathan.

Ainda sem data de lançamento confirmada, a expansão é um gigantesco apanhado de melhorias em dezenas de áreas do mapa, mas ganha destaque ainda maior em nações menores. Dentre as novidades já confirmadas estão nova árvores de missões para o Vietnã, Khmer, Majapahit, Ayutthaya, mudanças no combate naval e dezenas de novas nações que podem ser formadas.

Uma das novas mecânicas já confirmadas em um diário de desenvolvimento é a construção de monumentos. O sistema é relativamente similar ao que está presente em Crusader Kings 2 e não como o recém-visto para Imperator: Rome. Em suma, você poderá construir monumentos em certas províncias do mapa que te darão bônus permanentes na região.

Você poderá construir, por exemplo, o castelo de Himeji fazendo com que a defesa da província aumente em +25% e diminua a chances de revoltas locais. Cada monumento tem três níveis de qualidade, mas pode começar a se preparar a planejar tais monumentos assim que o jogo começar pois o custo médio de cada “nível” é de, no mínimo, 1000 moedas de ouro sem contar possíveis requisitos adicionais.

Outra mudança bem drástica, também apontada em outro diário de desenvolvimento, são as mudanças no combate naval. A quantidade de marinheiros que você recebe pelo desenvolvimento de certas províncias subiu de 30 para 60, mas da mesma forma o custo de “manutenção” de alguns barcos também foram elevados. A ideia por trás das mudanças é fazer com que o combate naval se alinhe melhor com a evolução do combate em terra. Não sei muito bem o que pensar ainda sobre tais alterações tendo em vista que não conheço um jogo da Paradox com um combate naval competente, então vai ser questão de “sentar para ver” – ou melhor – jogar.

Ainda não há certeza se Leviathan é a última expansão de Europa Universalis IV, mas caso seja, ao menos fico contente que a desenvolvedora finalmente decidiu se focar em mais regiões do mapa do que a Europa. Já estava mais do que na hora.

Para mais informações sobre o que estará incluso em Leviathan, recomendo e muito lerem os últimos diários de desenvolvimento de Europa Universalis IV.

Expansão “Leviathan” promete grandes mudanças para Europa Universalis IV

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.