Humankind

Até dias atrás eu não tinha muita fé no conceito de Humankind. A Amplitude parecia perdida no que ela queria desenvolver – um competidor de Civilization ou um jogo com uma identidade própria. O segundo vídeo de “making off” (uma desculpa esfarrapada para promover o jogo) lançado nesta quinta-feira (20) dá uma melhor ideia do que se esperar nas áreas de expansão territorial e combate.

Como eu tinha imaginado a partir das imagens iniciais, a Amplitude vai seguir certas táticas aplicadas em Endless Legend. Cidades serão compostas por distritos (mas sem detalhes divulgados) e o combate dará oportunidade para o jogador usar terrenos com elevação para a sua vantagem. Vale apontar que o sistema é diferente que o de Civilization onde os bônus tendem a ser por unidade. Aqui há um bônus base + o bônus da unidade.

Outra mecânica confirmada são as “belezas naturais” como as de Civilization VI. Tais belezas darão bônus exclusivos para a civilização que as encontrar e possuí-la dentro da sua área de influência.

Pelo visto o diferencial de Humankind vai ser na construção da sua civilização que não terá uma identidade única, mas sim é moldada pelo jogador ao longo da partida. Se isso vai ser suficiente para tirar a coroa de Civilization eu não sei, mas ao menos já apresenta um jogo mais atraente do que Civilization VI e suas expansões.

Veja os vídeos Origins e Reimagining Terrain abaixo:

Vídeo explica diferentes terrenos de Humankind

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.