Wrath of the Righteous

Eu normalmente resmungo quando as empresas publicam “trailers de lançamento” uma ou duas semanas antes do lançamento. Ao menos a Owlcat me fez o favor de publicar o do seu mais novo CRPG – Pathfinder: Wrath of the Righteous, poucos dias antes do lançamento da versão PC prevista para dia 2 de setembro.

Assim como Kingmaker,  Wrath of the Righteous é oriundo de um Kickstarter realizado pela Owlcat em fevereiro de 2020. Entretanto, as temáticas entre ambos os jogos não poderiam ser mais diferentes. Onde Kingmaker é mais enraizado nas Stolen Lands, Wrath of the Righteous é sobre a batalha entre deuses e demônios.

Isso é refletido tanto no início da trama, onde o “Lord of Locusts” inicia uma invasão demoníaca, como na capacidade do seu personagem seguir um dos noves caminhos míticos. Esses caminhos funcionam como “subclasses” e dão a possibilidade de usar poderes dos Céus, se transformar em um demônio, invocar mortos ou até ser um dragão.

Como eu sou backer, tive acesso tanto a versão alpha quanto a versão Beta de Wrath of the Righteous e posso ao menos confirmar que tanto o combate, seja Real Time With Pause ou em turnos, e as dezenas de classes – mais de 30 se não me engano – estão formidáveis. O jogo também está, ao menos até onde joguei, com muito menos bugs do que Kingmaker. Acho que a Owlcat acertou a mão dessa vez nesta área.

Saberei mais quando finalmente por as mãos na minha chave em 2 de setembro.

Por ora, fico tentando montar uma build para o meu personagem garantindo que ela me leve até o final. Observe eu falhar miseravelmente daqui a alguns dias.

Veja o trailer de lançamento de “Pathfinder: Wrath of the Righteous”

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.