Moons of Madness

Como um fã de ficção científica, um toque de terror e Secret World, Moons of Madness da Rock Pocket Games e a Funcom era para ter me impressionado no dia que foi anunciado. Quanto mais vejo e leio sobre ele, menos motivado eu fico. O trailer de gameplay divulgado nesta semana certamente não ajudou.

Ambientado no mais clichê dos planetas, Marte, o jogo conta a história do técnico Shane Newehart e a sua vida na estação de pesquisa secreta controlada pelo grupo Orochi. Por Newehart ser apenas um técnico, ele não sabe os experimentos que ocorrem na estação até o momento que tudo, obviamente, dá errado.

Grande parte do trailer de gameplay demonstra exatamente isto, tarefas mundanas, lineares e alguém falando no seu ouvido quase a todo momento. Isso sem contar a adição dos (já defasados) “quick time events” e ações – como pegar um pé de cabra – que se estendem sem necessidade ou propósito. Não tenho problemas com cenas longas, mas gostaria de saber o porquê de pegar um pé de cabra requerer tantas ações. Necessidade de se provar como um “jogo” e, consequentemente querer demonstrar interatividade a todo tempo?

Entretanto, permaneço curioso para saber qual é a ligação entre Moons of Madness e Secret World, e se a jogabilidade vai evoluir para algo além de “vá ali, aperte um botão e tome um susto”. Bom, ao menos ainda tenho Observation e Outer Wilds para suprir as minhas necessidades de Sci-Fi em 2019.

Moons of Madness está previsto para sair próximo ao Halloween (31 de outubro) no PC, PlayStation 4 e Xbox One.

Veja 12 minutos de gameplay de Moons of Madness

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.