Unity of Command 2

Teasers, esperanças de que o terceiro trimestre seria o “ponto final” para descobrirmos se Unity of Command 2 seria ou não lançado em 2019. Nesta terça-feira (5) a 2×2 Games confirmou que o wargame estará disponível via Steam por US$29,99.

Aproveitando a ocasião, o desenvolvedor Tomislav Uzelac finalmente entrou em detalhes sobre um dos fatores determinantes para o sucesso de seu antecessor: o sistema de suprimentos. A sequência tem além das tradicionais linhas de suprimento – que tendem a ficar no canto do mapa – como “centrais de suprimento”. Essas centrais irão aumentar a quantidade de suprimento que uma tropa poderá receber na região.

Entretanto, isso apenas mitiga parte dos problemas. Uma das novas mecânicas é a “Supply Disruption”, onde ao colocar hubs de suprimento em estradas ao invés de trilhos – o principal método de transporte para tropas e equipamentos durante a Segunda Guerra Mundial – não necessariamente garante que as tropas na região hub de suprimento de fato irão receber o apoio que necessitam. Uma alternativa é usar o “emergency resupply” direto do quartel general, mas isso gastará pontos de comando (CP). O risco dessa opção é que de uma forma ou outra você irá “capar” o quartel general de chamar reforços, artilharia ou apoio aéreo. Ao que tudo indica, vai ser um equilíbrio difícil de se manter.

Além dessas novidades, Unity of Command 2 trará uma campanha mais dinâmica que o seu antecessor, o que a 2×2 espera remover um pouco das mecânicas que os faziam parecer mais um “puzzle game” do que um wargame, além de um editor de missões robusto. Tive oportunidade de testá-lo por algumas horas e garanto que criar mapas para o jogo – que já tem uma comunidade bem dedicada – está mais fácil ainda.

Espere uma análise nossa o quanto antes.

Para vocês terem uma melhor noção do combate e movimentação das tropas em Unity of Command 2, recomendo o vídeo da versão pré-beta apresentada durante a Tokyo Game Show:

Unity of Command 2 chega em 12 de novembro

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.