Pensei que o anúncio da disponibilização de Torchlight III no acesso antecipado do Steam saciaria a minha vontade de ARPGs, mas na verdade o que eu fiquei de olho mesmo é em Morbid: The Seven Acolytes em desenvolvimento pela Still Running.

Apresentado durante o Future Games Show, o ARPG não economiza na quantidade de sangue e monstros bizarros. Pelo seu mundo macabro, até a sanidade do personagem pode ser afetada e causar malefícios durante o combate.

A desenvolvedora promete 25 tipos de armas que vão das típicas espadas até rifles, um sistema de níveis via perks ao invés dos atributos tradicionais e….lore. Não sei o motivo de “lore” estar na lista; creio que eles quiseram dizer que ele vai ter algum tipo de história. Mas, bem, quem se importa com história em ARPGs? A jogabilidade parece apetitosa o suficiente para mim

Morbid: The Seven Acolytes sai ainda este ano no PC.

Trailer do ARPG “Morbid: The Seven Acolytes” é macabro e brutal

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.