Three Kingdoms

Pergunte-me qual é o elo mais fraco da série total War e te direi que é a diplomacia. Uma diplomacia que, pelo andar da carruagem, vai receber inúmeras melhorias em Three Kingdoms se tudo correr como previsto nos vídeos lançados pela Creative Assembly.

O primeiro vídeo demonstrou as novas mecânicas e ofertas que você pode fazer com outras facções, como por exemplo, estabelecer uma trégua de outras formas – como o uso de alimentos, tropas ou pagamento de dinheiro em parcelas.

Já o segundo, disponibilizado nesta sexta-feira (30) detalha novas mecânicas de alianças. Em Total War: Three Kingdoms as alianças foram separadas entre coalizões e alianças militares. Ambos os métodos agora requerem o consenso majoritário para que uma ação seja realizada – como a invasão de território inimigo. Isso também pode servir para aumentar a sua reputação com o líder da aliança.

A coalizão se diferee mais de uma aliança militar por ser um acordo mais “brando”, que serve para estabelecer zonas de influência e apoio em early-game. Um exemplo dado pela Creative Assembly é formar uma coalizão com facções adjacentes a você (caso seja possível), isso não só irá aumentar a sua reputação e torná-lo mais próximo de você, como também vai piorar as relações de você e outros membros da sua coalizão com qualquer país com o qual você estiver em guerra. Em contrapartida, membros da coalizão não necessariamente vão se juntar a guerra – algo que seria obrigatório no caso de uma aliança militar

Ao que tudo indica, a ideia da Creative Assembly é tornar todo o processo de ser diplomático algo mais granular. Resta saber, mais uma vez, se a IA de Three Kingdoms será capaz disso. Mais detalhes estão disponíveis no blog da Creative Assembly.

Total War: Three Kingdoms terá novas formas de diplomacia; veja como funciona

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.