Lord of the Rings

Eu não sou lá muito conhecedor de card games, mas basta um “vamos abandonar o modelo free-to-play em favor de um premimum” que meu interesse vai lá em cima. Foi assim com Faeria e agora com Lord of the Rings: Living Card Game, que recebeu uma nova quest nesta semana junto com uma série de correções de bugs.

Com foco em partidas “solo” e aventuras onde o jogador deve construir um deck, enfrentar inimigos e resolver “quebra-cabeças”, a atualização traz uma nova quest do King of Carrion, 13 novas cartas, ajustes de dificuldade em quests e a inclusão de um relógio de areia para identificar quais objetivos possuem um tempo limite. Mais detalhes podem ser encontrados na página do game no Steam.

A parte que me deixa interessado é a mudança do modelo free-to-play previamente previsto pela Asmodee Digital. A ideia era usar lootboxes e de moedas (Palantir) obtidas durante a partida para liberar itens cosméticos e novo conteúdo. Quando o jogo sair do período de acesso antecipado, ele terá uma versão base e todas as expansões serão pagas – e você vai saber exatamente o conteúdo delas. Tal método também foi adotado por Faeria e tornou o jogo muito mais prazeroso para mim. Antes separar um dinheiro por mês e comprar uma das expansões do que depender da “sorte”.

O que falta para eu entrar de cabeça em Lord of the Rings: Living Card Game é a quantidade de conteúdo presente: duas quests. Como a Asmodee Digital já confirmou outras quatro quests e uma nova campanha, é melhor esperar.

The Lord of the Rings: Living Card Game recebe nova quest e abandona modelo F2P

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.