Análise – Styx: Master of Shadows

Stealth é um gênero que nem sempre é bem representado nos games. Alguns carecem polimento, outros apenas o utilizam como uma funcionalidade “extra” que não tem nada a ver com as mecânicas principais. Styx: Master of Shadows se encaixa na primeira opção, ainda assim é um game divertido.

Desenvolvido pelos franceses da Cyanide Studio, Styx: Master of Shadows te coloca na pele do goblin Styx em sua busca para descobrir a sua verdeira origem dentro da torre de Akenash. Apesar de extensos momentos de diálogo, não existe uma boa justificativa para se importar com os personagens ou a trama.

É um problema recorrente dos games da Cyanide. Of Orcs and Men contava não só com uma péssima trama com uma jogabilidade abaixo do esperado. Ao menos nesse aspecto Styx conserta parte dos problemas.

Styx é um game puramente de stealth. Existem outras opções para enfrentar os desafios, como lutar com os guardas, você irá se frustrar caso o faça. O combate é sofre de falhas e se baseia basicamente em um sistema de ataque e parry, quase como um QTE de outros games.

Styx: Master of Shadows
A Cyanide busca justificativa pelo tamanho pequeno e fraqueza de Styx, apesar de ser uma bem fraca. O personagem é capaz de aguentar a porrada de um humano gigante, é agil, mesmo assim não é suficientemente bom para lutar contra outros. Qualquer tentativa de passar uma missão assim é um exercício para a paciência. Ao menos no stealth ele se sobressai.

O goblin não tem um vasto arsenal de magias, como Corvo, de Dishonored, mas pode se esconder em espaços minúsculos dado a sua baixa estatura. Vai ser preciso decorar o padrão de movimentação dos guardas e saber a hora certa de passar. Qualquer coisa diferente resultará no caos.

Em certo momento tentei passar por uma patrulha com um pouco mais de “ousadia” e não deu nada certo. A AI se baseia no sistema básico onde um pouco mais de luz que reflete no seu personagem e ele já está quase 100% visível. Não é o método mais justo com o jogador para um game de stealth, mas não é um empecilho para a diversão.

Styx não pega emprestado elementos do gênero, como The Last of Us faz, ele espelha as suas mecânicas em games como Thief ou Mark of The Ninja. Em consequência, se não gostar muito de stealth, vai se decepcionar.

Styx: Master of Shadows
Dificuldade também é um ponto interessante em Styx. Além das dificuldades padrão, o game oferece o Goblin mode, onde é impossível dar parry e é muito difícil se defender. A dinâmica do jogo muda completamente. A atenção deve ser redobrada.

Ironicamente, foi o modo que senti mais equilíbrio entre dificuldade e recompensa. Como se Styx: Master of Shadows tivesse sido feito com esse modo em mente e depois balanceado para as outras dificuldades.

A versão usada para a review foi de PC, não notamos nenhum problema em relação a aspectos técnicos. A arte, porém, é um pouco inconsistente. Em certas fases o game é belíssimo, enquanto em outras sofre de texturas fracas e repetição de cenários.

Ele tem seu ponto forte na verticalização do ambiente, com áreas que envolvem subir uma série de andares e navegar por uma série de labirintos dentro dos mesmos para encontrar o objetivo. Existem múltiplas maneiras de alcançá-lo, o que muitos outros games de stealth parecem ter esquecido.

No passado, Thief ofereceria mil maneiras para completar um objetivo, Styx tenta prover isso de maneira similar. Aqueles que gostam de explorar as áreas também serão recompensados dessa forma.

Styx: Master of Shadows
Queria, porém, que as mecânicas de movimentação fossem melhores. O game foge do estilo “aperte um botão para pular em tudo”, como Assassin’s Creed, e requer que o jogador ajuste o ângulo e distância do pulo.

Como os controles não polidos, pode se preparar para morrer umas mil vezes porque errou um pulo. Caso tenha um controle para o computador, recomendo usá-lo. Essas partes são melhores dessa forma, ouso dizer que Styx no geral é melhor aproveitado com um controle.

Styx continua com todos esses pequenos problemas que dificultam ter uma experiência positiva. Em todas as missões que fazia eu pensava “é legal, mas tem esse pequeno probleminha”. E isso resume muito bem o que Styx é. Legal, mas com probleminhas. Ter sido lançado em uma das épocas mais lotadas de 2014, com grandes lançamentos quase toda a semana, não ajudou em nada a recomendá-lo.

Se você gosta, muito, mas muito mesmo de Stealth, jogue o Styx: Master of Shadows. Caso não, existem outros jogos que oferecem uma experiência mais polida e uma trama mais interessante para você. Styx: Master of Shadows está a venda no Steam por R$ 69,99

A análise foi feita com base em uma cópia enviada pela Focus Home Interactive

Análise – Styx: Master of Shadows

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.