Saviors of Sapphire Wings

Olha, depois não venham nos meus comentários falar que ninguém lança “dungeon crawler novo” para PC. Bem, estou usando o termo “novo” com um tanto de liberdade aqui já que a NISA finalmente trouxe para o ocidente Saviors of Sapphire Wings e Stranger of Sword City Revisited em um só pacote. Ele está disponível a partir de R$93,99 para PC e Switch.

Originalmente lançados para o PlayStation VITA no Japão, Saviors of Sapphire Wings e Stranger of Sword City Revisited são dois dungeon crawlers um tanto quanto distintos um do outro. Enquanto Stranger of Sword City se foca na criação manual de uma party e no aspecto de explorar dungeons, Saviors of Sapphire Wings dá um enfoque extra para história.

Não há como, por exemplo, criar um personagem personalizado em Saviors of Sapphire Wings – apenas escolher de um grupo de personagens. Isto é uma “restrição” necessária para que o jogo consiga contar melhor a sua história que dizem ser o “ponto alto” do jogo.

Fora isto os dois jogos retém o mesmo estilo de dungeon crawler japonês muito influenciado por Wizardry e outros jogos do gênero. Espere uma boa dose de exploração de calabouços, inimigos e quem sabe um permadeath ali e acolá.

Por ter jogado a versão original de Stranger of Sword City, posso ao menos dar a certeza que ele é um excelente dungeon crawler que vai te prender e sugar horas da sua vida se você não prestar atenção. O combate é dinâmico e há várias habilidades para serem aprendidas.

Minhas impressões de Saviors of Sapphire Wings infelizmente ficam para outro dia – quem sabe outro mês. Estou tão atolado de jogos para jogar, e tão pouco tempo, que não sei se é uma boa ideia começar um dungeon crawler agora. Entretanto, ouvi comentários bem positivos da crítica internacional. Espero que o foco na história sirva para um jogo mais “enxuto” e não um desfile de clichês.

Saviors of Sapphire Wings está disponível para Nintendo Switch e PC

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.