Re-Legion

Ao invés de recrutar unidades, as converte como você fosse o líder da “religião do momento”. Essa é a ideia por trás de Re-Legion, o jogo de estratégia com um leve toque cyberpunk previsto para sair nesta quinta-feira (31) por US$19,99.

Para essa premissa funcionar, Re-Legion abraça a noção de que a sociedade tecnocrática do futuro será controlada por supostas “religiões” que menos se encaixam no nosso conceito atual, e mais desenvolvem o seu próprio conjunto de “ideologias”. Algo como uma nova reforma protestantista, mas ainda mais radical e violenta.

O jogador então pode participar da facção principal, ou criar a sua própria religião que tem os seus próprios dogmas. Estes, que acredito que darão bônus para as unidades e afins.

O trailer de lançamento é péssimo em demonstrar como exatamente funcionam esses sistemas, mas dá indícios do uso de ponto de controles pelo mapa, hacking e combate focado em pequenos grupos armados ao contrário de batalhões.

A 1C tem se dado bem nas apostas de estratégia dela. Ancestors Legacy, apesar de não ter atingido a fama que eu imaginava, é um jogo competente, e Deep Sky Derelicts não deixou a desejar em nenhum aspecto. Espero que o mesmo ocorra em Re-Legion.

RTS Re-Legion chega nesta quinta-feira

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.