Depois de um anúncio em 2016 e teasers nos últimos meses, a KING Art Games iniciou nesta terça-feira (13) a campanha no Kickstarter para o seu game de estratégia em tempo real com Mechs, Iron Harvest. A empresa almeja angariar no mínimo US$450,000 para que o projeto avance.

Ambientado no mundo de “1920+” criado pelo artista polonês Jakub Różalski, esse universo alternativo se passa alguns anos após a primeira guerra, onde o cotidiano agora é dividido entre o mundano e a existência de mechs para as mais diferentes tarefas. Todavia, facções secretas buscam desestabilizar a Europa mais uma vez, e dominá-la.

Com o foco inicial em sua campanha, o game contará a história ao longo de 21 missões pelo ponto de vista de três facções – O Saxoy Empire, a Polania Republic e o Rusviet; cada uma delas com suas unidades e heróis.

No quesito jogabilidade, Iron Harvest promete um sistema de cover similar ao de Company of Heroes 2 – onde unidades podem destruir basicamente tudo do cenário – para enfatizar o uso de flancos ou prevenir o inimigo de dominar uma posição. O vídeo de gameplay mostra esses elementos em ação

A KING Art também planeja adicionar partidas contra bots, um modo multiplayer e uma campanha coop. Para isso a campanha deve atingir a marca de US$850,000, US$1,000,000 e US$1,150,000, respectivamente. A lista completa de “stretch goals” está disponível na página da campanha.

Já nas primeiras horas o game arrecadou pouco mais de US$100,000 e se continuar neste ritmo, teremos mais conteúdo para o jogo (e torço para que isso aconteça).

Para aqueles interessados em colaborar com o projeto, o valor inicial é de US$10,00 que dá acesso a um voucher de desconto para o lançamento do game, previsto para o final de 2019. Já aqueles que escolherem US$45 poderão ter acesso a fase beta e US$55 dá direito a participar também dos alphas – com o primeiro previsto para começar nos próximos meses. Eu já chorei deixei meu pledge.

RTS Iron Harvest inicia campanha no Kickstarter

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.