Roguelike e card game são termos que eu tendo a ter pavor. Raros são os casos que eu joguei um que fosse minimamente interessante. Abro a exceção para Cardaclysm por conta de tê-lo jogado durante o Steam Summer Game Fest e de sua proposta ser diferente dos outros que vi até então.

Com o acesso antecipado marcado para dia 29 (preço no Brasil ainda não definido), ele te dá mais controle tanto sobre a movimentação do personagem, o seu equipamento e os tipos de cartas que podem ser usadas no combate. A base dele é um RPG com geração procedural e cinco biomas. As batalhas são em turnos e, como todo card game lançado desde Slay the Spire, focado em sinergias.

Todavia, eu senti que ele é bem mais punitivo em termos de como entender os pontos fortes e fracos do inimigo do que outros do gênero. Envenenamento, congelamento ou outros efeitos são mais proeminentes, inimigos tem combos mais poderosos e você vai lutar para decifrar qual a melhor maneira de derrotá-los.

Cardaclysm não tem previsão de quando sai do acesso antecipado, mas a versão base já conta com 5 facções, 200 cartas, 40 artefatos, 5 biomas, quests e desafios. Digo que é uma bela quantidade de conteúdo (se este não se tornar repetitivo) para um jogo em acesso antecipado.

“Roguelike” Cardaclysm entra em Early Access nesta quarta

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.