Análise – Europa Universalis IV: Res Publica

Res Publica é mais uma expansão do Europa Universalis IV com um foco em pequenos detalhes, dessa vez adiciona um sistema de república e monarquia eletiva para certos países.

Um dos grandes focos está na república holandesa, que recebeu novas mecânicas de jogo. Em certos períodos da história, a Holanda foi uma república. Isso se traduz em Europa Universalis IV como o jogador ter de manter o equilíbrio de apoio entre os Statists e os Orangists.

Res Publica: Foco na holanda

No quesito gameplay, os Statists dão bônus no poder naval, mercado e fortalecem a sua república. Já os Orangists aumentam a estabilidade do país e diminuem os custos de manutenção das forças terrestres.

Junto a isso, você também tem monarquias eletivas, como é o caso da Polônia. Nela, o herdeiro terá de ter uma grande reivindicação ao trono, já que o líder é escolhido por meio de uma votação. Para garantir seu lugar no trono, você pode gastar pontos administrativos, mas nem sempre isso dará certo.

Não vou mentir, Res Publica me deixou muito confuso de início. São dois países que eu tenho pouquíssima experiência, não conheço muito bem a história e isso prejudicou um pouco meu aprendizado.

Res Publica

Novos eventos foram adicionados juntos com a expansão

Foi necessário algumas partidas e bater muito a cabeça contra a parede para entender como funcionava. Cada partida algum evento novo aparecia, algo que eu não esperava e eu sempre ia “pera, isso é novo”.

Com do tempo peguei o jeito da coisa, então sim, a longo prazo isso vai dar uma nova camada de estratégia em relação a expansões, gerenciamento de colônias e poder de troca da Holanda.

Outra modificação interessante é a adição de postos de troca. Cada um deles custa 50 administrative power e te dá + 15 de trade power e +1 de naval force limits. Em contrapartida, a mais recente atualização (1.7) diminuiu em 10 pontos o poder de trade power das repúblicas mercantilistas. Eu pessoalmente não senti uma grande diferença dessa redução, mas há quem possa reclamar disso.

Ainda sobre a atualização 1.7, está a adição de facções para repúblicas mercantilistas. Elas são separadas em três categorias, The Guilds, The Traders e Aristrocrats. Cada uma delas fornece bônus e penalidades para a nação. Vale lembrar que isso é gratuito para todos os donos de Europa Universalis IV, então não é preciso de Res Publica para tirar proveito disso.

Res Publica

Essa mecânica me animou, acho que em muitos períodos você fica “sem fazer nada” ou esperando alguma coisa nova ou um evento ocorrer. Mais pequenas mecânicas internas tornam o jogo mais atraente em meus olhos.

Não é a primeira vez e torço para que não seja a última que a Paradox consegue agradar mais uma vez a quem decidir ou não comprar o DLC. Independentemente existe sempre alguma coisa nova a encontrar ou alguma mudança considerável em atualizações de Europa Universalis IV. Foi assim com Conquest of Paradise, Wealth of Nations e dessa vez em Res Publica.

“Mas e em relação ao Res Publica?” você se pergunta. Pois bem, eu considero uma boa expansão já que ele me fez pensar diferente em muitas situações e ainda fornece ferramentas para você jogar mais dez ou quinze horas de jogo em Europa Universalis IV.

Pode não ter o escopo das expansões anteriores, mas vai por mim, é tão interessante quanto. Além do que, ela custa apenas R$ 10,49 no Steam, um preço justo.

A análise foi feita com base em uma cópia enviada pela Paradox

Análise – Europa Universalis IV: Res Publica

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.