Syberia

Olha, depois do quão terrível foi Syberia 3, a Microids apostar em um novo jogo da franquia é uma jogada tanto arriscada. Porém, depois de jogar o prólogo do recém-anunciado Syberia: A World Before, creio que a série de adventures criada por Benoît Sokal esteja indo na direção correta.

Previsto para 2021, o jogo se passa em dois períodos distintos: 1937 e 2004. A primeira parte conta a história de Dana Roze – moradora de Vaghen, uma das cidades com autômatos, marca registrada da série –, poucos antes da ascensão do facismo na Europa pré Segunda guerra mundial.

O restante do jogo se passa em 2004 onde Kate Walker, até então a protagonista principal da franquia, está aprisionada em uma mina. O trailer não entra em detalhes sobre o motivo dela estar lá ou o que aconteceu.

A jogabilidade fica mais próxima dos jogos clássicos do que a tentativa desastrosa de acompanhar as tendências do mercado como feito com Syberia 3. Portanto, espere uma câmera fixa, bastante conversa e puzzles que são de encher um bloco de anotação de tão complexos. Dedos cruzados para que isso permaneça na versão final.

E se você ainda não jogou Syberia, fica aqui a minha recomendação para ao menos jogar Syberia 1 e 2, são uns dos meus adventures favoritos e a direção de arte é fantástica.

Prólogo de Syberia: A World Before é lançado no Steam

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.