Phantasy Star Online 2

Fã de Phantasy Star Online 2 vive do seguinte jeito: acorda com uma notícia boa, dorme com uma notícia ruim, acorda com uma notícia boa, e vai dormir de novo com uma ruim. A notícia boa é que o beta aberto de Phantasy Star Online 2 em inglês está disponível, mas só no Xbox One e nos Estados Unidos. Porém, se você mudar a região do Xbox One, você pode baixar e jogá-lo pois não há bloqueio de IP.

Se você não foi um desses que passou por todo aquele perrengue no passado para fazer download e jogar a versão PC (que já tinha sido traduzida pela comunidade), agora o processo ao menos é bem mais simples. Basta ir no menu de configurações do seu Xbox e mudar a Região para os Estados Unidos. O espaço necessário é de pouco mais de 65GB. Depois que o download for iniciado você pode alterar a sua região de volta para o Brasil.

Mas não tem um benefício sem um malefício, não é? Não há como comprar qualquer pacote cosmético devido a diferença de região. Isto é, a não ser que você compre cartões-presente e os use na sua conta.

Todavia, você não está perdendo muita coisa em não comprar os pacotes cosméticos. Como Phantasy Star Online 2 usa um sistema de instâncias – separado entre o lobbies e as áreas de missão – a sensação de lag é imperceptível. Joguei tanto o prólogo como as primeiras missões e foi bem tranquilo.

Veteranos de Phantasy Star Online, que sem dúvida já estão na casa dos 30 – como eu – e ainda não jogaram a sequência vão se surpreender um tanto. Ele ainda segue o ritmo, o sistema de combos e a trilha sonora continua ótima, mas há uma maior ênfase na (terrível) história e classes menos atraentes do que as do original. Na pior das hipóteses, você sempre pode voltar para Phantasy Star Online Blue Burst e a dezena de servidores privados que existem no PC.

Agora, por favor SEGA vê se lança isso também no PC. Não aguento mais ter que fazer download de arquivo do japão a 100kb/s.

Beta de Phantasy Star Online 2 está disponível no Xbox One

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.