biblioteca do Steam

Apresentado pelo blog oficial do Steam, a Valve anunciou que a muitas vezes mencionada, mas pouco falada, nova biblioteca do Steam entrará em beta aberto a partir de 17 de setembro. Ou seja, aqueles que usam a versão beta do Steam já terão acesso a ela.

A nova interface da biblioteca do Steam vai de encontro com o que a Valve tem demonstrado no Steam Labs – foco na usabilidade e um design mais coeso. A primeira grande adição – ainda mais para aqueles que tem centenas ou milhares de jogos – é um novo sistema de categorias. Ela funciona em duas camadas: a primeira é gerada automaticamente pelo Steam, como RPGs ou jogos com suporte a controle, e uma segunda camada determinada pelo usuário. Portanto, você pode separar RPGs em RPGs em primeira ou terceira pessoa caso ache necessário.

Outra novidade é o sistema de eventos, que agora avisará dentro da página do jogo se eventos como finais de semana com XP duplo, torneios etc., estão em andamento ou irão acontecer nos próximos dias. Ainda não se sabe, porém, se as funcionalidades oferecidas no Steam Labs – como os microtrailers – farão parte do beta ou ficarão só no experimento. No momento, apenas a nova interface de “novidades” para os jogos está funcional. Caso queira vê-la em ação, acesse a página de um de seus jogos e verifique a última postagem feita pela desenvolvedora.

É um avanço e tanto para o Steam, mas um avanço que já chega bem atrasado. Como alguém que passou da marca de 1000 jogos, as novas categorias são o fator determinante para mim já que o sistema atual requer um gerenciamento intensivo e aplicativos de terceiros, como o Playnite, oferecem uma organização muito melhor. O que não me desce direito é o quão “gigante” são os ícones para os jogos e como a biblioteca ainda aparenta ter sido feita com dois ou três mentalidades em mente: minimalismo, usabilidade, organização e nenhum deles fica coeso. A essa altura, é melhor isso do que nada.

Nova biblioteca do Steam entra em beta dia 17

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.