Obsidian

A Microsoft anunciou durante o X018, evento focado em anúncios da marca Xbox e jogos em geral, que fechou a compra da Obsidian Entertainment e a InXile Entertainment – dois estúdios prevalentemente conhecidos pelos seus trabalhos em RPGs para PC.

A compra da Obsidian, conhecida por seu trabalho em Fallout: New Vegas e mais recentemente, Pillars of Eternity 2, pode não vir como uma grande surpresa para muitos; rumores inicialmente publicados pelo Kotaku apontavam que era tudo uma questão de “quando” e não “se” a compra ia ser feita ou não.

InXile Entertainment, no entanto, surge como algo inesperado. A empresa de Brian Fargo que nos últimos anos se focou em tentar revitalizar os CRPGs com Wasteland 2, Torment: Tides of Numenera, e mais recentemente Bard’s Tale IV teve seus altos e baixos. Dos três projetos, apenas Wasteland 2 foi um relativo sucesso e para muitos – eu incluso – Bard’s Tale IV é uma imensa decepção.

Em comunicado enviado ao GamesIndustry.biz a Microsoft apontou que ambos os estúdios irão continuar a trabalhar de maneira “autônoma” e que “enriquecer a Microsoft Studios com  seus talentos e conhecimento para enquanto trabalham em novos RPGs”.

A compra também pode ser vista como uma etapa para a Microsoft enriquecer o serviço Game Pass, que será lançado no PC. O anúncio foi feito no final de outubro pelo CEO Satya Nadella em uma conferência para investidores (Voxel). Atualmente o Game Pass pode ser usado no PC para jogos Play Anywhere, mas não conta com nenhum exclusivo de PC.

Ambas as empresas lançaram vídeos sobre o futuro e o que os jogadores podem esperar delas. A típica conversa de sempre. Resta aguardarmos e vermos qual vai ser o futuro para os fãs de CRPGs, e especialmente quais novas empresas podem surgir para preencher o vazio caso tanto a Obsidian como a InXile se foquem em jogos menos “clássicos”.

Bem, ao menos ainda temos a Larian, a Owlcat Games, e a Iron Tower Studios (Age of Decadence).

Microsoft anuncia compra da Obsidian e InXile Entertainment

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.