Guia para melhorar o Stack no Dota 2

Fazer Stacks no Dota 2 pode parecer simples, mas na verdade é um longo processo de conhecimento e prática. No guia abaixo mostramos como melhorar a sua habilidade em criar Stacks no Dota 2.

Guia para melhorar o Stack no Dota 2: Introdução

Se você sabe a importância que um Stack tem e só quer melhorar seu gameplay nesse quesito, sugiro pular para a seção Aprimorando seu Stack. Caso não saiba muito bem do que se trata ou tem interesse em talvez aprender um pouco mais sobre a ciência do jogo, essa introdução é para você.

Quando você resolve jogar um Dota, o seu principal objetivo é ver o trono do adversário se despedaçando diante das risadas do seu time, ainda mais se a partida estiver valendo MMR. Assim, é intuitivo assumir que quanto mais rápido as barras de HP dos heróis inimigos descerem, melhor.

Não é necessário pensar muito antes de chegar à conclusão que se os heróis do seu time tiverem mais gold (tradução: itens) e experiência que os outros, o fenômeno acima ocorrerá naturalmente.

Ora, mas os dois times se encontram em um ambiente que pode ser considerado equilibrado. Ambos extremos do mapa possuem as mesmas quantidades de creeps por wave, a mesma quantidade de campos neutros/ancients e o mesmo acesso ao Roshan. Então porque até mesmo as partidas mais focadas em farm, sem um time atrapalhar muito o outro, muitas vezes acabam antes do relógio chegar a meia hora?

melhorar o Stack no Dota 2

O segredo está em um elemento de mecânica muito simples: Analisando com carinho o termo “ambiente equilibrado” supracitado, você descobre que a limitação de recursos disponíveis no mapa acontece para valer. Por exemplo, os creeps são uma oportunidade finita de ficar rico, eles nascem e morrem, quer você esteja lá ou não para dar o last-hit.

Na jungle não é diferente, os neutros não nascem um atrás do outro se ainda existe alguma coisa respirando no local de respawn em questão. Em outras palavras, é gold que está deixando de obter porque não está tomando uma atitude que permita o aparecimento de mais dinheiro no seu bolso.

Assim, chegamos a uma conclusão um pouco óbvia. Ganha o time que extrair melhor os recursos que existem em quantidade determinada no mapa. Podendo eles ser os creeps do outro time, a cabeça daquele Axe infernizando o entremeio das torres na sua safe lane ou… os monstros da jungle!

No caso desse último, você e o resto do seu time podem se concentrar em ter o maior número possível de campos vazios no momento que o minuto virar, o que pode ser feito matando todos os neutros, sair correndo antes da marca chegar ao XX:00 ou saber as mecânicas de tempo e posicionamento para realizar o Stack.

Aprimorando seu Stack

Em busca de reduzir a minha ignorância e aprender um pouco mais sobre o jogo, já me deparei com três formas diferentes de aprendizado. Diria que as três formas se complementam, sendo assim, um domínio total das três é necessário para se tornar realmente bom em Stacks. Para quem está começando, recomendo se focar nas duas primeiras

Primeiro Método: Usar uma regra geral.

A forma mais simples de começar a fazer Stacks é olhar para os números abaixo e usar em todos os campos do mapa, de acordo com o número de Stacks existente no local e com o tipo de ataque das unidades a serem amontoadas.

Para seguir essa regra você deve puxar os neutros para fora do campo quando o tempo for:

  • xx:55 (creep melee) e xx:54 (creep ranged) e não houver Stack;
  • xx:54 (creep melee) e xx:53 (creep ranged ou misto) quando existirem dois grupos ou um Stack;
  • xx:53 (creep melee) e xx:52 (creep ranged ou misto) (com 2 Stacks) quando existirem dois grupos ou um stack;
  • xx:52 (creep melee) e xx:51 (creep ranged ou misto) (com 3 stacks) quando existirem dois grupos ou um Stack;

Com base nisso, se deve tirar um segundo de cada tempo — de acordo com a composição dos neutros — para cada Stack a mais.

Segundo Método: Os tempos ideais de cada campo.

Outra forma de aprender a fazer pull na hora certa é saber que cada campo tem propriedades diferentes. Em alguns, é necessário que os neutros se afastem mais para que o jogo considere o campo vazio.

Jogadores do Reddit com mais tempo livre que eu ou você desenvolveram um mapa com os melhores tempos de pull:

melhorar o Stack no Dota 2

Terceiro Método: Entender o espaço entre os Stacks

As duas maneiras de melhorar o Stack no Dota 2 mencionadas anteriormente são esquemas úteis, mas não se engane. Decorar tempos é fácil, mas somente com o domínio da terceira é que pode se considerar um mestre de Stacks.

Por exemplo, as linhas acima revelaram em algum momento que há diferença caso você puxe os neutros para lados diferentes? Ou que dependendo da unidade encontrada no campo, a velocidade de movimento da mesma é diferente e o tempo precisa ser reconsiderado? Pois é.

Se você está confortável em errar 10-15% dos seus pulls, não precisa quebrar a cabeça. Agora, se realmente quer ser capaz de extrair tudo que o jogo tem para oferecer, vai precisar botar a mão na massa.

Da próxima vez que abrir o Dota 2, vá na aba dos Custom Games e procure por um mapa chamado Neutral Camp Spawn Boxes.

melhorar o Stack no Dota 2

Nesse modo você terá todas as ferramentas necessárias para entender a área que precisa estar vazia no momento em que o minuto virar para os neutros nascerem em cada campo. Essa área é conhecida como spawn box e não é igual para todos locais. Este mapa deixa claro qual a direção que deve ser seguida para fazer Stacks mais eficientemente.

De quebra, o mapa conta com uma interface que mostra o alcance da sua visão, obtenção de experiência e até mesmo do ataque das torres.

Com isso, você tem em mãos os meios para obter tudo que se pode saber para melhorar o Stack no Dota 2. Espero que alguma coisa desse texto lhe tenha servido para melhorar a qualidade do seu jogo.

Que nas nossas próximas partidas o aprendizado exista sempre em conjunto com a diversão de acertar o ultimate em todo mundo e se o acaso nos colocar em times diferentes, que vença os melhores Stacks!

Guia para melhorar o Stack no Dota 2

About The Author
- Estudante de engenharia que tem como principal hobby os jogos de estratégia competitivos e os títulos que são fáceis de entender mas difíceis de dominar. Jogo desde que um computador entrou pela porta da de casa e, apesar de já ter passado pela fase dos consoles da Sony, está claro que o PC é minha preferência insubstituível.