Dreadlands

Antes de todo rebuliço causado por Vermintide, antes da Fatshark se tornar a empresa que associamos a Warhammer, a desenvolvedora sueca produziu alguns títulos interessantíssimos como Lead and Gold e Krater. Destes, o meu favorito certamente foi action RPG Krater, uma preciosidade que merecia um pouco mais de polimento. Nesta semana, a empresa anunciou o seu retorno ao universo de Krater via Dreadlands – um jogo de estratégia em turnos com foco em batalhas coop contra a IA e PVP.

A premissa é reminiscente de Krater: o mundo se tornou um caos e o único recurso ainda valioso é o Glonithium, ou “Glow” como a população o chama. Dentro desse contexto o jogador o papel de um grupo de mercenários em busca de obter a maior quantidade de “Glow”.

Pelas poucas imagens divulgadas até então, Dreadlands se inspira – como tantos outros jogos de estratégia em turnos no mercado – nas noções estabelecidas pelo XCOM da Firaxis. É importante denotar, entretanto, uma menor quantidade de proteção nos mapas – como edifícios e barreiras – o que deve tornar o posicionamento e o uso de habilidades algo crucial.

Dreadlands está previsto para este ano, plataformas não foram anunciadas.

Fatshark anuncia Dreadlands, jogo de estratégia em turnos no universo de Krater

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.