Century: Age of Ashes

Eu ainda estou em dúvidas se Century: Age of Ashes é a maior surpresa ou a maior decepção do ano para mim. O jogo de dragões PVP disponibilizado em dezembro no Steam tem um potencial imenso, mas parece que ainda não está no ponto certo. Ao menos eu tenho uma “motivação” para jogá-lo um pouco mais, o evento “Frost &Fury” – que acontece até 2 de janeiro.

O evento adiciona um novo modo de jogo free for all que é o mais puro caos. Em suma 8 jogadores lutam para ver quem fica no topo da tabela de liderança. Entretanto, quanto mais eliminações você tiver, maior será a recompensa se você for morto. Mantenha-se vivo o tempo o suficiente e você será recompensado com um bônus e uma remoção total da recompensa.

Aqueles que completarem os desafios presentes durante o evento receberão uma nova armadura e um novo eblema – ambos cosméticos já que Century: Age of Ashes não possui nenhum item que dê vantagens no PVP.

Eu tenho gostado mais desse modo do que os modos padrões de Century: Age of Ashes. Os modos padrões requerem um pouco demais de coordenação entre as equipes e eu ainda não consegui convencer nenhum dos meus amigos ou amigas a jogarem comigo.

Vou ficar triste quando o evento acabar em janeiro, pois terei de voltar aos modos normais e as classes “básicas” de Century: Age of Ashes. Nesse aspecto a Playwing tem que ficar esperta, pois as classes não são tão diferentes e os mapas atuais são poucos inspirados.

Este é o problema de lançar jogos no final do ano, algo que sempre alerto a desenvolvedores: Se for para lançar, que ele tenha “conteúdo” — ainda mais se falamos de PVP — para durar um bom tempo. Desafios diários e semanais são só um grande tapa buraco.

Bom, vamos ver como Century: Age of Ashes vai se sair em 2022 e se as promessas de novos mapas e classes se concretizam. Como disse, o potencial está lá, só falta a Playwing aproveitar.

Evento “Frost & Fury” rola até janeiro em em Century: Age of Ashes

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.