Code Vein

Dois jogos teoricamente difíceis no espaço de uma semana? Estaria eu sonhando? Pelo visto não. Após The Surge 2 — o qual já escrevi a minha análise — a Bandai Namco lançou nesta sexta-feira (27) Code Vein no Steam, PlayStation 4 e Xbox One.

Salvo a estética apocalíptica que tanto Code Vein e The Surge 2 usam, as suas propostas não podiam ser mais diferentes. O game da Bandai Namco se foca em um combate mais ágil – incluindo uma companheira que é controlada pela IA – maior destaque para narrativa e conteúdo multiplayer. Um desses elementos são seções subterrâneas com uma dificuldade elevada.

Outro sistema interessante é a flexibilidade das classes chamadas de Blood Code. Você pode subir cada um desses Blood Codes e trocar quando bem desejar. Esse é o ponto que mais me chamou a atenção em Code Vein, pois tendo a ver classes como um sistema rígido demais e quero saber como ele cria essa flexibilidade sem virar algo “é flexível, mas você ainda precisa escolher entre duas classes”.

Assista ao trailer de lançamento de Code Vein

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.