Análise – Renowned Explorers: International Society

Não é de hoje que games com combate por turno caem na mesmice rapidamente, oferecem mecânicas que à primeira vista parecem inovadoras, mas começam a cansar após algumas horas. Foi no jogo indie Renowned Explorers: International Society, muitas vezes ignorado pelos jogadores, que não só achei um sistema de combate divertido, como ideias muito boas. Ele está à venda no Steam por R$ 36,99.

Ambientado no século XIX, o jogo começa com você decidindo o trio de exploradores que irá levar para desbravar florestas em busca de tesouros e nativos. Cada explorador possui um conjunto de habilidades e traços de personalidade específicos. Por exemplo, você escolher um grupo de exploradores voltados para resolver tudo no combate, outros que preferem o diálogo ou até mesmo a humilhação. Soou completamente bizarro? A mim também, mas calma que isso é de suma importância para aproveitar Renowned Explorers ao máximo.

Escolhido a minha equipe, o jogo pede para que uma localidade seja definida. Ele nos apresenta um mapa mundi, cada área do mapa oferece uma temática diferente. Não há propriamente uma história assim dizendo, mas um caso de um conjunto de pequenos acontecimentos que irão aparecer em cada jornada e o jogador decidirá como resolvê-los.

Renownerd Explorers oferece dois modos de jogo: Discovery e Adventure. O primeiro permite salvar e tentar outra vez quando morrer, enquanto o segundo ativa o Permadeath e ele é salvo automaticamente após cada ação. Sem pensar duas vezes, fui no Adventure para ver até onde conseguiria chegar com meus exploradores. Acabou que consegui ir bem longe na dificuldade clássica.

No início de cada partida – que tem seu mapa gerado aleatoriamente – você recebe pontos de suprimento, estes para mover a equipe para outro ponto do mapa até alcançar o objetivo. Renowned Explorers força o jogador a fazer escolhas significativas de cara. Em cada ponto desses haverão pontos de pesquisa – usados para liberar novas habilidades para partidas subsequentes – moedas para receber dinheiro no fim da exploração ou Insight, usado para comprar outras moedas no mapa. No qual você irá focar será crucial para o resultado da exploração.

Renowned Explorers

Após familiarizado com o mapa, cheguei no primeiro encontro aleatório, um grupo de ladrões tentava extorquir dinheiro para garantir acesso a uma ponte. Essa situação poderia ser resolvida de duas formas: entrar em diálogo com eles, já que meu capitão tinha foco em carisma, ou entrar em combate. Decidi a segunda opção e finalmente descobri o quão brilhante era o combate.

Ainda que o objetivo final seja eliminar os inimigos, Renowed Explorers torna isso muito mais divertido do que um mero “ataque-o ou use poderes para diminuir sua armadura”. Cada personagem tem uma barra de vida e uma barra de humor. A segunda é influenciada por ações como humilhação e deboche. Sim, você leu direito. Você pode eliminar um inimigo por debochar dele, como foi o caso dos ladrões, que decidi fazer graça do cheiro estranho que exalavam. Eles ficaram tristes e fugiram do campo de batalha.

Nem sempre isso resulta em uma coisa boa, como foi quando decidi humilhar um grupo de leões, o que (os) enfureceu e aumentou seu poder de dano para o próximo turno. Saber balancear quando e como usar tais habilidades é essencial para sobreviver.

Isso é apenas uma pequena parcela da variedade do combate, que é ainda mais expandida com os diferentes tipos de personagem disponíveis. Enquanto alguns oferecem a chance de debochar dos inimigos, fazendo com que fiquem tristes, outros os fazem perder turnos ou ficarem atordoados temporariamente. As partidas subsequentes foram principalmente motivadas pelo meu interesse em conhecer mais sobre o que eu seria capaz de fazer no combate do que nos eventos aleatórios em si.

Para não dizer que o combate é perfeito, algumas melhorias poderiam ser feitas quanto a movimentação. Mais de uma vez tive problemas em fazer com que o personagem ficasse na área que gostaria, parte por problemas no zoom e parte por problemas em clicar no local, pois uma árvore ou outro objeto obstruía o campo de visão.

Renowned Explorers

A carência de uma sensação de progresso também é outro defeito de Renowned Explorers. Você pode liberar novos personagens, obter pontos de pesquisa, para no fim aquilo não servir para muita coisa. Nada é carregado para partidas subsequentes e a única pontuação existente é um rank da equipe em relação as outras. Há um museu de tesouros, mas nada que realmente irá te fazer se sentir “orgulhoso” de suas conquistas.

Usar uma geração aleatória de mapas não ajuda em nada para tirar essa sensação. Por mais variados que possam ser estruturalmente, tanto os mapas como as arenas de combate começavam a se parecer demais umas com as outras. Os eventos que os ocasionavam ao menos mantiveram uma boa qualidade o tempo todo.

Não dá para deixar de parabenizar, porém, a estética que a Abbey Games usou em Renowned Explorers. O estilo cartunesco, a trilha sonora misteriosa e ao mesmo tempo carismático ajuda bastante para tirar a frustração de perder. Ainda que perca, sempre era de uma maneira ridícula. Afinal de contas, quem imaginaria que a sua derrota viria na forma de um líder com o orgulho ferido após ser chamado de feio?

Nem tudo que inova é bom, assim como nem tudo que fica na mesmice é ruim. Renowned Explorers: International Society consegue mostrar que sistemas de combate são cativantes e procurar soluções pouco ortodoxas as vezes é a melhor maneira de engajar.

A análise foi feita com base em uma cópia enviada pela Abbey Games

Análise – Renowned Explorers: International Society

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.