Análise – Endless Legend: Tempest

Há uma falha gigantesca em boa parte dos jogos de estratégia 4X, o combate naval. Na maioria o elemento está ausente ou é tão mal implementado que mais parece um trabalho extra que não adiciona nada ao jogo base. Felizmente a Amplitude Studios soube trabalhar a mecânica e o melhor exemplo disto é a expansão Tempest, disponível no Steam por R$ 25,99.

Normalmente quando falamos de combate naval, vemos o mesmo conceito de batalhas terrestres aplicadas a um plano que não faz sentido. Pegue Civilization, por exemplo, boa parte do combate naval varia entre águas rasas ou profundas, nada mais. Em Endless Legend: Tempest o mar tem uma dinâmica e mecânicas próprias.

Ao passar de cada turno o clima no mar — separado do clima terrestre — pode mudar drasticamente. Em momentos via as minhas unidades presas em meio a um hexágono onde ocorria uma tempestade e consequentemente reduzia a proteção delas. Há um peculiar dinamismo de posicionamento que faz Endless Legend brilhar ainda mais. Confesso que não prestei a devida atenção quando a expansão Guardians e Shifters foram lançadas, mas Tempest? Ah, Tempest me fez gastar horas de jogo e algumas boas noites de sono.

O principal atrativo foi a nova facção, os Morgwar (favor não confundir com a banda Mogwai). Oriundos do mar, eles são talvez a facção mais complexa e cheia de nuances que a Amplitude Studios já criou.

Os Mogwar são menos atacantes diretos em terra e mais influenciadores do que as outras facções. Enquanto o seu domínio total no combate naval pode ser visto como uma vantagem imensa, há grandes penalidades em movimentá-los pela terra, ainda mais longe de rios, onde seus pontos de movimento são reduzidos ainda mais.

Para ter alguma chance contra outras facções, você deve assimilar o quanto antes facções menores enquanto constrói cidades costeiras. Por serem bem diferentes ao que eu estou acostumado, ainda demorei um tempo para pegar o jeito, mas quando eu comecei a entender seu funcionamento, não tenho palavras para descrever a genialidade da Amplitude em sua criação.

Sou daquelas pessoas que joga 4X de forma quase automatizada. Move uma unidade, aperta o botão de mudar de turno, faz aquilo outro, muda para outro turno. A partir do momento em que eu hesito é que algo deu certo. A desenvolvedora me fez pensar, questionar o posicionamento de algo e isto aconteceu frequentemente ao jogar com os Morgwar.

Endless Legend“Seria útil criar uma cidade nesta área costeira ou assimilar a facção primeiro para garantir que as minhas unidades não sejam massacradas no primeiro encontro? ”, eram dúvidas que surgiam ao longo das partidas que se desenrolavam na quietude da madrugada entre um gole de café e outro.

Talvez uma das minhas favoritas funções deles é o Black Spot, ou como prefiro chamar, “aquela habilidade para destruir amizades”. O Black Spot ao ser aplicado a uma facção inimiga faz com que ela possa ser atacada por todos os jogadores da partida, inclusive aliados. Mais uma vez o tabuleiro vira e agora quem está com certo controle sou eu. Enquanto outros se matavam por uma falsa glória, eu silenciosamente expandia meu império aquático.

Quando o Black Spot era removido ao custo de pontos de influência, meu eterno incômodo às facções inimigas não parava aí. Em vezes tomava controle de exércitos de facções secundárias para enfraquecer suas defesas ou tornava os povoados das mesmas hostis novamente. Imagens do líder dos Broken Lords dando tapas sobre uma mesa enquanto o império ruina a sua volta era gratificante, e quem sabe, um pouco maléfico da minha parte.

Falar sobre os Morgwar sem ao menos citar a sua linha de quests seria um crime. Mais uma vez a Amplitude entrega uma narrativa de ótima qualidade e mantém a mesma filosofia das outras facções — crie uma história única para cada que seus jogadores se sentirão ainda mais engajados. Acho que nas dez ou quinze horas de jogo que tive com os Morgwar sequer pude ver tudo que estava disponível. Garanto-te uma coisa, porém, a qualidade se mantém tão alta quanto o jogo base.

Meu maior medo de navegar pelo mar em busca das quests eram os Formani, uma facção secundária inclusa na expansão e dona das fortalezas do mar. À primeira vista o que pensei foi “moleza, é só atacar com umas unidades fortes e vou conquista-la em segundos”. Três turnos depois e minha frota estava dizimada e minha cara enfiada na mesa de tamanho desgosto. Total falha de minha parte foi ter atacado tal fortaleza bem no momento que uma tempestade ocorria. Afinal, o mar não perdoa ninguém, nem mesmo os Morgwar.

As outras facções também podem participar do combate naval, com menos eficácia e com um custo relativamente alto de manutenção das unidades. Neste aspecto Endless Legend dá um pequeno deslize por não incentivar propriamente aqueles que preferirem jogar com os Broken Lords ou os Forgotten. As fortalezas são tentadoras, mas o custo para atacá-las parece pertencer apenas aos Morgwar.

Endless Legend

Este, talvez, é o único aspecto que me é o único aspecto que me decepciona em Tempest — uma grande ênfase em fazer uma facção funcionar no combate naval enquanto as outras tem certa dificuldade de acompanhar o ritmo expansionista da mesma. Ainda é cedo para dizer o que a comunidade de Endless Legend fará para contra-atacar estes seres aquáticos, mas certamente alguém surgirá com uma boa ideia. Este alguém não será eu, infelizmente.

Seria a última vez que veremos Auriga? Tenho as minhas dúvidas, uma coisa é certa; Endless Legend: Tempest é a culminação de um trabalho de muitos anos da Amplitude como desenvolvedora e que trouxe gigantescas inovações ao gênero 4X. Das alianças forjadas, os impérios destruídos, as diversas mecânicas que antes não possuíam “sabor” e agora se tornam a minha referência para o que espero de um 4X, mesmo que implementadas de maneira diferente.

Endless Legend já era um ótimo jogo e com todas as expansões, se torna possivelmente o melhor pacote de 4X que tive o prazer de jogar em anos. Que a Amplitude consiga replicar a mesma visão em Endless Legend 2 e traga a mesma quantidade de inovações para games ambientados no espaço. Enquanto ainda não chegam a este ponto, voltarei a dominar os mares.

Endless Legend: Tempest

Total - 9.5

9.5

A adição do combate naval junto com uma ótima facção faz com que Endless Legend: Tempest se torne sem dúvida um dos melhores pacotes de estratégia 4X em muitos anos. Seja você um iniciante, um veterano ou quer algo fora do comum, não deixe esta pérola passar despercebida da sua lista de estratégia.

Análise – Endless Legend: Tempest

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.