Horse Lords

Recentemente com Europa Universalis IV – Common Sense, a maneira de jogar o game de estratégia mudou completamente. Agora em Crusader Kings II – Horse Lords o mesmo acontece e não poderia estar mais feliz. A expansão está disponível no Steam por R$ 27,99.

Horse Lords expande o mapa e adiciona novas funcionalidades aos Mongóis e outras nações da região. Por mais de 50 horas de jogo estava acostumado com uma mecânica onde eu deveria desenvolver uma província, construir novas edificações e planejar meus próximos passos. A expansão pega tudo o que conhecia até então e joga pela janela. É hora de – em partes – aprender como se joga Crusader Kings II.

Tribos nômades não possuem assentamentos permanentes, mas sim uma população total – usada para erguer exércitos e outras funcionalidades – que aumenta de acordo com a quantidade de terras vazias que possui em cada província. Quanto maior a quantidade, maior a população e maiores exércitos. Claro que isso resultará em muitos confrontos entre famílias.

Horse Lords

Uma nova janela de gerenciamento de clã. Ao longo da partida outros clãs desejarão mais terra e você como líder tem de saber como distribuir essa terra. É o velho conceito de aprender como gerenciar seus aliados e inimigos, mas aplicado de uma maneira diferente.

A janela de gerenciamento do clã foi onde eu fiquei a maior parte do tempo. Sempre buscava dividir ou unir clãs de acordo com a demanda. Tribos nômades são instáveis, conflitos internos aconteciam no menor dos problemas. Há sempre uma demanda constante por terra, clãs podem reclamar que são em grande ou pequeno número. Não gerenciar isso resulta em penalidades nas relações do governante com seus vassalos. Os mongóis possuem algumas ações especiais, duas delas são os Blood Oaths e Blood Feuds. Blood Oaths fazem com que um clã prometa a outro defende-lo, enquanto Blood Feuds dá um “passe livre” para ataca-lo.

Claro que nas partidas não tardou muito para que um dos clãs, infeliz com a quantidade de terra que o dei entrasse em um Blood Feud. Para contornar a situação tentei juntar uma grande quantidade de dinheiro ao saquear províncias próximas daquele clã e os meus vizinhos. Não tardou para que a ideia fosse por água abaixo, uma revolta local se instaurou, clãs se separaram de mim e a partida acabou em uma grande guerra.

O resultado não é tão distante do que se pode ter uma nação com um sistema de governo diferente dos mongóis, mas as maneiras que existem para chegar a esse e outros resultados é o que torna Horse Lords especial. Enviar seu filho para se tornar um mercenário, ganhar prestígio e se tornar o sucessor? É possível. São tantas pequenas mudanças que te trazem uma constante sensação de novidade.

É interessante ver como que os mongóis foram bem adaptados as mecânicas de Crusader Kings II, você sempre se sente em momentos de tensão de evento a evento – que são muitos, muitos mesmo. Nunca sabe quando uma próxima revolta irá estourar ou para onde irá guiar seu povo.

Ao mesmo tempo em que momentos de tensão com disputas internas surgem, dominar o mapa sabendo como controlar as unidades e quando atacar torna as partidas de Crusader Kings II consideravelmente mais fáceis. Os exércitos mongóis foram por muito tempo uma força inigualável no Leste da Ásia até a Europa. O poderio que também é visto na hora de conquistar outros territórios, quase todas as batalhas se tornaram fáceis demais devido à grande flexibilidade e a rapidez que as tropas eram repostas.

Em conjunto com a expansão, vem a atualização 2.4.1, que traz melhorias significativas no desempenho, principalmente próximo a data limite da campanha. Onde antes sofria de problemas na taxa de quadros, agora as coisas melhoraram consideravelmente. Além disso há um pacote cosmético de unidades por R$11,99. Não acho essencial para aproveitar, mas se você for realmente fã vale dar uma olhada.

Após a pequena, porém divertida expansão Way of Life, Horse Lords mostra uma Paradox que consegue implementar mecânicas mais ousadas para grupos que precisavam ter a sua devida atenção. Crusader Kings II – Horse Lords não é apenas uma boa expansão, é uma nova maneira de aproveitar um jogo que já trouxe ótimos momentos nessas mais de 80 horas gastas. As mecânicas dos nômades foram bem elaboradas e divertidas de se jogar. Mesmo se você ainda der preferência ao estilo europeu ou islâmico de governo, é uma ótima expansão a um preço que faz jus ao conteúdo.

A análise foi feita com base em uma cópia enviada pela Paradox

Análise – Crusader Kings II: Horse Lords

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.